Cardeal não encontra erros teológicos e doutrinários nas mensagens de Medjugorje


 
 

 

Cardeal responsável pelo Catecismo da Igreja Católica não encontra erros teológicos e doutrinários nas mensagens de Medjugorje

O cardeal de Viena, Christoph Schönborn abriu as portas da catedral para os videntes de Medjugorje terem outra aparição em novembro/2011. Como diretor do atual Catecismo da Igreja Católica, o convite do Cardeal Schönborn vem de um perito da doutrina da Igreja que foi incapaz de encontrar algo contrário aos ensinamentos do Catolicismo nas mensagens da Virgem Maria em Medjugorje.

 Ivan em êxtase em 2008 na catedral de Viena. Nota-se na foto uma nuvem por cima do vidente.

O vidente Ivan Dragicevic em 2008 teve a sua aparição na catedral de Santo Estevão em Viena.

Visita da vidente Marija ao cardeal Schornborn em Viena em 2009

Em 2010, ele retornou juntamente com a vidente Marija Pavlovic e agora ambos foram novamente convidados para retornarem em novembro de 2011.

O cardeal confirmou o convite em entrevista a revista Medjugorje Gebetsaktion, o principal veículo de informação sobre Medjugorje na Áustria, e será publicado no website oficial da paróquia.

Repórter: Em novembro deste ano planejamos o quarto encontro de oração pela paz em nossa catedral em Viena, na qual alguns dos videntes de Medjugorje virão participar. Em nome de todos os amigos de Medjugorje: obrigado por ter aprovado este encontro. Existe alguma razão particular para o senhor abrir as portas da catedral ?

Cardeal Schornborn: “A catedral é, como eu digo, o coração da Áustria, juntamente com a igreja de Mariazell. E este grande movimento de oração, que traz tantas bênçãos a tantas pessoas no nosso país, deve acontecer na catedral. Além disso, para mim e para os nossos párocos e paroquianos da catedral, é realmente um benefício se o movimento de oração se encontrar uma vez ao ano, exatamente aqui com orações de agradecimento, louvores e súplicas. De fato nós devemos estar agradecidos deste encontro acontecer na catedral.”

O cardeal passou o ano novo de 2009/2010 em Medjugorje e se encontrou com as quatro videntes.

Vidente Marija servindo o cardeal em sua casa em Medjugorje no ano novo de 2009/2010. Com eles também estão as videntes Mirjana e Ivanka.

“Meus encontros com Marija Pavlovic, Mirjana Soldo, Ivanka Elez e Vicka Mijatovic foram gravados profundamente em meu coração que está cheio de gratidão quando lembro da extraordinária hospitalidade em suas casas. De modo especial eu de modo agradecido me lembro do grande, embora curto tempo que fiquei como sacerdote em confissão nos confessionários da paróquia de Medjugorje.”

O cardeal falou sobre as mensagens de Medjugorje e agradeceu a Deus por elas não serem “originais”. Ele disse que se as mensagens fossem espantosas, extraordinárias tudo poderia certamente ter desaparecido porque é impossível que a cada semana, a cada mês, a cada ano, dar mensagens espantosas. Como opinião pessoal ele considera as mensagens como simples e quase como uma cartilha para viver como um cristão: um contínuo chamado à oração, a conversão, a reconciliação e a paz, reconhecidas pelas palavras de Nossa Senhora: “Obrigada por terem respondido ao Meu chamado.”

Cardeal Shonborn disse “Eu acho que, independentemente de qual será a decisão definitiva da Igreja, uma coisa é certa: que milhões de pessoas em torno do mundo lêem as mensagens e as reconhecem como um chamado da Mãe de Deus em nossas vidas; elas nos lembram todos os meses a rezar, a reconciliar e a amar a Virgem Maria. Ele acrescentou que através desta “escola”, Maria nos convida a seguir Jesus, a olhar para o Seu Filho, a ouvi-Lo, a imitá-Lo e a “fazer o que Ele lhes disser” foram as primeiras palavras de Maria ao povo. Ele sublinhou que “fazer o que Ele lhes disser” é a essência das mensagens em Medjugorje.”

"Para mim, é surpreendente que, no início, as mensagens digam respeito exatamente à paróquia de Medjugorje. Parece-me que o Céu queria fazer daqui a sua "arma". Porque se esse lugar deve irradiar algo especial, então os seus habitantes têm que tomar parte nela. Assim foi com o Santo Cura dArs (São João Maria Vianney). "Ars Ars ne plus", disse o pároco de Ars, após alguns anos: “Ars não é mais Ars, Ars mudou ".

"Quando eu estava em Medjugorje, soube que havia muitas rivalidades (antes das aparições). E como podemos espalhar a paz que Nossa Senhora Rainha da Paz coloca em seu coração, se os moradores não vivem isso ? Assim, parece-me que esta é realmente uma educação maravilhosa de Nossa Senhora, onde Ela primeiro investe apenas na aldeia, na paróquia, para o seu serviço. Agora, os moradores estão informados de Medjugorje e no mundo perseguindo a sua missão. E para isso eles devem agradecer do fundo do coração de terem se tornado disponíveis e então tornaram-se uma "ferramenta" da Rainha da Paz ", diz o cardeal Christoph Schönborn.

 

O Cardeal Christoph Schönborn, é o Cardeal-Arcebispo de Viena, nasceu em 22 de janeiro de 1945. Ele foi ordenado sacerdote em 1970, consagrado Bispo em 1991 e foi nomeado Cardeal em 1998. No Vaticano, ele é membro da Congregação para a Doutrina da Fé, da Congregação para a Educação Católica e da Congregação para as Igrejas Orientais. Ele também é membro do Conselho Pontifício para a promoção da Nova Evangelização e do Pontifício Conselho para os Bens Culturais da Igreja. Ele tem um doutorado em Teologia e foi o presidente da comissão editorial do atual Catecismo da Igreja Católica.

 

Traduzido por Gabriel Paulino

Fonte: http://www.medjugorjetoday.tv/