A posição da Igreja sobre Medjugorje



 
Entrevista com o cardeal Cristoph Schonborn, membro da congregação da doutrina da fé

 

 

Cardeal Christoph Schonborn, membro da Congregação para a doutrina da fé, reitera a posição oficial da Igreja sobre Medjugorje em 2010:

Nada mudou. Nenhuma decisão até que as aparições cessem. A declaração dos bispos em Zadar permanece. Caráter sobrenatural não confirmado nem excluído. Peregrinações são permitidas, mas não a nível diocesano.

O cardeal doutor Christoph Schonborn veio a Medjugorje na segunda, 28 de dezembro de 2009, em visita particular e permaneceu até o dia 2 de janeiro de 2010. Durante sua estada em Medjugorje, deu declarações aos membros da imprensa. Em entrevista com Max Domej, um representante da imprensa da Austrália, o cardeal foi questionado sobre o que o fez vir a Medjugorje. Entre outras coisas ele disse:

“Eu conheço sobre Medjugorje por muitos anos, não pessoalmente porque eu nunca tinha estado aqui antes, mas em nossa diocese and ever farther, eu experimentei os frutos de Medjugorje. Eu sempre costumo repetir as palavras de Jesus nos Evangelhos: “Vocês reconhecerão a árvore pelos seus frutos”. Quando eu vi os frutos de Medjugorje ao retornar para casa, eu posso somente dizer que os frutos são certamente bons.

Falando sobre Medjugorje na Igreja, o cardeal acrescentou:

“Suprema autoridade na Igreja é a Santa Sé e sua congregação para a doutrina da fé e esta é a mais alta autoridade em todos os assuntos de fé e moralidade. A suprema autoridade da Igreja nos deu uma clara regra, não diretamente do Santo Padre, mas da congregação para a doutrina da fé que confirmam o que os bispos da ex-Iugoslávia uma vez disseram, e que sem dúvida é aplicável a Medjugorje. Eu sempre repito isto. Estes textos são muito conhecidos. Há três elementos que são válidos até hoje, e eu posso colocar a minha visita a Medjugorje dentro destas regras. Neste sentido, minha visita não tem nada de diferente. A Santa Sé está de acordo com a conferência dos bispos da ex-Iugoslávia de 1991, a qual diz o seguinte:

“Primeiro. Non constat de supranaturalitatae. Esta é uma expressão raramente usada e significa que a sobrenaturalidade dos eventos não foi confirmada e esta é a forma clássica da doutrina da Igreja. Não está dito que a sobrenaturalidade foi excluída, mas que não, ainda não foi finalmente confirmada e tudo por causa de uma simples razão que eu apóio totalmente. Eu sou um membro da congregação para a doutrina da fé e é compreensível que eu apóio, se nós o estamos discutindo. Nominalmente, visto que este fenômeno ainda está ocorrendo, é normal que a decisão da Igreja, não será tomada ainda, porque algo assim nunca aconteceu antes no passado. Em Lourdes e Fátima, os eventos primeiro cessaram e então a Igreja, tomou sua decisão sobre isto, sua decisão final. Mais cedo ou mais tarde irá acontecer aqui também, mas até lá deixemos para a Mãe de Deus com a liberdade de escolha.

Segundo: peregrinações não oficiais são organizadas, o que significa que eu não posso organizar uma peregrinação da minha diocese até Medjugorje. Isto é logicamente relacionado com o mencionado anteriormente. Então, não há reconhecimento oficial ainda, mas nesta formulação também é dito que a sobrenaturalidade não está excluíida. A Igreja claramente disse que não está excluída. Não está confirmada, mas não está excluída.

Terceiro: A doutrina da Igreja claramente está também em acordo com a decisão dos bispos da ex-Iugoslávia, que uma viagem a Medjugorje requer atenção e cuidado pastoral. Isto significa de fato que cuidado pastoral aos peregrinos necessita existir, como o Gebestaktion Wien, entre outros, que cuidam dos peregrinos, os acompanham e ajudam até depois das peregrinações. Penso que deste modo, Medjugorje pode continuar bem em sua jornada, com a total confiança da Igreja., Mãe e Mestra, neste caso, continua a monitorar sua jornada. Peço paciência. A Mãe de Deus é tão paciente conosco, já por quase 29 anos aqui, de maneira muito direta. Ela está mostrando aqui a Sua proximidade e cuidado com a paróquia de Medjugorje e numerosos peregrinos. Nós podemos pacientemente esperar e ter paciência! 29 anos é um longo período de tempo para nós, mas não tão grande período para o nosso Deus”

 

Fonte: http://crownofstars.blogspot.com/